Opinião


A “incompetência” comunicacional da ministra Lutucuta

2020-01-30 10:29:00

Imagem de destaque

Partilhar isto:

É importante chamar a razão aos titulares de órgãos públicos, que ao exercerem determinados cargos, não estão a fazer favor a ninguém. Aliás, devem obediência, respeito e prestação de contas a quem os elegeu.

Por: Osvaldo de Nascimento

A titular da pasta do Ministério da Saúde, Sílvia Lutucuta, ainda que não quisesse alarmar a população com a notícias do cidadão chinês hospitalizado na Clínica Girassol, com suspeitas de estar infectado com o vírus que está a colocar o mundo de sentido, deveria, pelo menos, saber comunicar.

A ministra, no comunicado “desajeitado” que fez sair ontem, depois do áudio que circulava nas redes sociais e de o Na Mira do Crime ter noticiado, disse apenas que Um cidadão chinês, com suspeita de coronavírus, está internado na clínica Girassol, em Luanda, acrescentando que o paciente chegou há 12 dias daquele país asiático e apresenta um quadro de febres altas e tosse.

Sílvia Lutucuta avançou que as pessoas que mantiveram contacto com o paciente estão a ser contactadas, para efeito de exames médicos, sem precisar números.
Apesar do internamento do cidadão chinês, apelou à calma da população, reafirmando que o sector da Saúde está preparado para atender eventuais casos de contaminação.

Cito: o sector da Saúde está preparado para atender eventuais casos de contaminação.

A falta de vergonha e respeito de alguns governantes, leva milhares de angolanos a morte.

Num país minimamente sério, e com a gravidade desta pandemia, custa acreditar que, só depois de passados 13 dias, as amostras das análises do paciente em questão foi levada para testes na África do Sul. Desconheço o preço das análises, mas, senhora ministra, é mentira o que a senhora disse. É mentira que o ministério que dirige esteja preparado para defender os angolanos desta doença.

Nem para chuva estamos preparados, imagem para travar o “corona”.

O mais agravante, senhora ministra, é que não fomos informados se este paciente passou antes por outros hospitais, com quem se relacionou, quando chegou em Angola, onde vive, chegou com a família ou sozinho, com quem viajou…

É importante estarmos informados senhora ministra, o povo quer saber a realidade.

Senão fosse às amizades palacianas da responsável da Saúde, e do sorriso estonteante nos lábios da governante, o implacável estaria, nestas horas, a procurar a lapiseira azul para fazer aquilo que mais gosta…