Política


Sem pressão: MPLA diz que autarquias serão marcadas no tempo certo

2020-02-11 10:26:00

Imagem de destaque

Partilhar isto:

O secretário do Bureau Político do MPLA para os Assuntos Políticos e Eleitorais, Mário Pinto de Andrade, afirmou, no Lubango, que as eleições autárquicas deverão ser convocadas e realizadas dentro do tempo determinado pelos órgãos competentes e não vê motivos da pressão que está a ser feita pela oposição.

Mário Pinto de Andrade, que falava no sábado durante um acto político de massas, em apoio às reformas políticas, económicas e sociais em curso no país, disse que o MPLA tem o compromisso de realizar as eleições autárquicas e ge-rais, mas a sua convocação deve ocorrer dentro dos “timings” determinados pelos órgãos competentes.

O político, escreve o JA, esclareceu que as primeiras eleições autárquicas vão ser realizadas dentro do tempo que for determinado, já que primeiro o Parlamento tem que aprovar todo o pacote legislativo.

“O que acontece é que a oposição, fundamentalmente a UNITA, está nervosa, porque nunca ganharam nada nesses 45 anos da nossa Independência”, disse Mário Pinto de Andrade, para quem a oposição não marca a agenda política. “Quem marca a agenda política no país é o partido que está no poder e não a UNITA, nem tão pouco o seu presidente”.

O dirigente do partido no poder disse ainda que a UNITA não pode fazer ameaças porque “quem manda em Angola e quem tem o mandato para governar no país é o MPLA”. “Eles podem ficar mais nervosos, mas vão ter que esperar o tempo certo para haver as eleições autárquicas no país”, afirmou.

Mário Pinto de Andrade garantiu que o MPLA não tem medo das eleições com vista à implantação do Poder Local. “Um partido que ga-nhou todas eleições e nas últimas venceu em mais de 150 municípios, é impossível ter medo das eleições autárquicas, porque o povo teve confiança e votou sempre no MPLA”, esclareceu.

O também deputado de-fendeu maior vigilância dos militantes, simpatizantes e amigos do MPLA e a população em geral, e espera que estes continuem a apoiar as reformas políticas, económicas e sociais que estão a ser operadas pelo Governo do MPLA.

Moralização da sociedade

Mário Pinto de Andrade reconheceu que a forte aposta na moralização da sociedade angolana está a reflectir-se, também, na melhoria da prestação dos serviços públicos, através da inibição de práticas indecorosas, como a corrupção.

O Executivo liderado pelo Presidente João Lourenço, disse, tem um mandato muito claro: de combater todos os males que impedem o desenvolvimento do país, relançar a economia e prosperidade para todos os angolanos. Para tal, urge corrigir o que está mal e melhorar o que está bem, defendeu.

“O Presidente João Lourenço elegeu o combate à corrupção, à bajulação e ao nepotismo como uma das suas principais bandeiras de luta. No princípio, houve os que não acreditaram e duvidavam com essa palavra de ordem. Mas hoje, vêem que está a ser cumprida”, afirmou.

Refutou igualmente aqueles que dizem que o combate à corrupção tem apenas como alvos os desfavorecidos, os tipos na gíria popular como “peixe miúdo”. “Muitos pensavam que só as pessoas que roubam uma galinha é que seriam punidos, mas estavam enganados, porque o combate à corrupção é tão sério que já atingiu todos os níveis da esfera política, económica e social do nosso país. O pungo, a garoupa, o leão e o elefante também estão a ser caçados”, ironizou.

Antes da Huíla, Mário Pinto de Andrade esteve no Huambo na qualidade de coordenador do grupo de acompanhmento para aquela província.