Assalto


Restos mortais do comandante “Camponês” já repousam no Cemitério da Santa Ana

2020-07-03 10:23:00

Imagem de destaque

Partilhar isto:

Foi hoje a enterrar, sexta-feira, 03, no Cemitério da Santa Ana, Faustino António Luamba (Comandante Camponês), comandante da Esquadra da Boa Fé, que foi Vítima de homicídio voluntário, por disparo de arma de fogo, na noite de segunda-feira, 29, numa acção de enfrentamento com meliantes, quando se encontrava em serviço.

Por: Osvaldo de Nascimento

O corpo esteve presente  no Velório da Polícia Nacional (PN), onde familiares, ministro do Interior, Eugénio Laborinho, Comandante-Geral da Polícia Nacional, Paulo de Almeida e outras altas patentes da Polícia Nacional renderam a última homenagem ao ‘destemido’ Inspector-Chefe.

Entre choros e lágrimas, filhos, esposas e a mãe do malogrado, inconsoláveis, exigiam justiça do filho que era até então o responsável da família.

Faustino Luamba notabilizou-se no cumprimento das tarefas de Manutenção da Ordem e Tranquilidade Públicas, nas várias áreas de especialidades onde esteve inserido, com maior destaque nos territórios operacionais do Comando Municipal de Viana, onde exerceu vários cargos, com destaque para o Chefe de Turno das Comunicações, Chefe da Sala Operativa, Chefe de Pelotão e Comandante de Esquadra.

Luamba, de 45 anos de idade, nasceu na província do Uíge, município de Cangola, no dia 15 de Outubro de 1975 e deixa três viúvas e 26 filhos, alguns menores de idade.

Breve historial.  

O malogrado fez os seus estudos primários no Uíge, onde posteriormente rumou para Luanda, com objectivo de dar sequência aos estudos, onde concluiu o ensino Pré-Universitário, na década de 90.

Em 1997 ingressou nas Forças Armadas Angolanas (FAA), onde cumpriu as mais variadas missões nas províncias do Uíge, Malange, Cuanza Norte e Luanda. A 19 de Abril de 2011, foi submetido ao licenciamento disponibilizado para ingressar na PN, tendo frequentado o curso básico da Polícia de Ordem Pública, na escola Mártires do Kapolo I, enquadrado no Comando Provincial de Luanda, colocado posteriormente no Comando Municipal de Viana, onde a luz do Despacho do Comandante Geral da Polícia Nacional (CGPN), foi nomeado com o número da ordem 1.060/CGPN/2014 e promovido ao grau de Inspector-chefe, exercendo a função de Comandante de Esquadra, onde permaneceu até a data da sua morte.

O Na Mira do Crime sabe que o malogrado, foi hoje  promovido, a título póstumo, ao grau de intendende