Corrupção


Administrador de Viana de "mãos atadas": Máfia na PGR inviabiliza combate à venda de terrenos

2020-07-17 11:43:00

Imagem de destaque

Partilhar isto:

(Imagem ilustrativa)

Foi detido no dia 09 de Julho do ano em curso pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC) numa actividade conjunta com a Administração Municipal de Viana, Xavier Francisco Cuela, também conhecido por “Black”, de 40 anos de idade, citado como o maior organizador de venda de terrenos de Viana, com ramificações no Município de Cacuaco, Funda (Bengo). Durante a investigação, foram detidas outras três pessoas, conhecidas apenas por Ângelo e Fuca, e uma terceira pessoa, que é uma agente da Polícia Nacional, colocada no Bengo, de nome Sandra.

Por: Redacção

De acordo com documentos em posse do Na Mira do Crime, Black foi detido em flagrante delito, quando fazia a venda de um terreno “alheio” a um cidadão chinês, ao preço de cinquenta milhões de kwanzas, e com um documento de direito de superfície falsificado, tendo este causado danos graves em vedação alheia.

Segundo fonte conhecedora do caso, o acusado tem grandes influências a nível da justiça daquele município, estando por isso a serem pressionados a soltar o acusado. “São procuradores, generais e altas patentes da PNA que estão a pressionar a soltura do senhor sem terem um respaldo legal”, denunciou a nossa fonte.

De acordo com fontes da Administração de Viana, o acusado já havia sido denunciado por várias pessoas. Fonte do SIC Viana adiantou ainda que, para além de crime de venda de terreno alheio, pesam sobre Black acusações de crime de homicídio frustado, falsificação de documentos e ofensas corporais,

“Tem havido uma forte pressão por parte de uma quadrilha de supostos procuradores mafiosos, não vamos aqui avançar já os nomes, mas estão bem identificados”. Autoridades locais pedem urgência as entidades centrais da Procuradoria-Geral da República, para tomar as devidas providências “porque estes supostos procuradores da malfeitoria, estão a andar em contramão com à lei”, alertaram.

Só para se ter uma ideia, acrescentaram, “desde 2019 até agora, já foram desmantelados mais de 100 grupos de usurpadores de terras em Viana, eis a razão para se questionar a não detenção deste senhor. Há máfia institucionalizada para instabilizar e voltar-se ao esquema criminoso de terras em Viana, com pessoas influentes a nível da PGR, que volta e meia estão no comando de Viana e que agora decidiram levar acabo uma grande onda de conspiração frenética contra quem não comparticipar nas suas malabarices”.