Mundo


Uzbequistão está disposto a pagar três mil dólares a quem viajar para o país e contrair covid-19

2020-07-20 16:50:00

Imagem de destaque

Partilhar isto:

“Se contrair a doença durante as férias no Uzbequistão, iremos compensá-lo”, garantiu a embaixadora do turismo do país para o Reino Unido. No entanto, os turistas que pretendam reclamar a compensação financeira terão de ter viajado com um guia turístico local

Governo do Uzbequistão está disposto a pagar três mil dólares (mais de 2,6 mil euros) a quem viajar para o país e contrair covid-19, a doença associada ao novo coronavírus.

“Queremos garantir aos turistas que podem vir para o Uzbequistão. O Governo está tão confiante de que as novas medidas de segurança e higiene, implementadas no sector do turismo, irão proteger os turistas da covid-19 que o Presidente está preparado para passar das palavras aos atos”, sublinhou Sophie Ibbotson, embaixadora do turismo do Uzbequistão para o Reino Unido, citada pela revista “Vice”. “Se contrair covid-19 durante as férias no Uzbequistão, iremos compensá-lo”, garantiu, em comunicado.

O Presidente uzbeque, Shavkat Mirziyoyev, assinou na semana passada o decreto de lançamento da campanha “Viagens Seguras Garantidas” numa tentativa de revitalizar o sector de turismo do país. Trata-se de um sector em expansão, tendo sido apontado em 2019 como o quatro mercado turístico com o crescimento mais rápido do mundo.

UMA COMPENSAÇÃO COM CONDIÇÕES

A compensação financeira está, no entanto, sujeita a algumas condições. Os turistas que a pretendam reclamar terão de ter viajado com um guia turístico local, que estará certificado com as diretrizes de segurança e higiene do país. Os sites e as acomodações turísticas terão igualmente de conseguir certificação junto do Governo para garantir que cumprem os novos padrões de segurança sanitária e epidemiológica, acrescenta a “Vice”.

Os voos internacionais para o Uzbequistão são retomados este mês. As chegadas de países considerados de baixo risco, como a China, o Japão, a Coreia do Sul e Israel, são bem vindas. Quem partir da União Europeia e do Reino Unido será obrigado a cumprir um período de 14 dias de auto-isolamento à chegada. Ainda assim, o Governo uzbeque já sinalizou que esta quarentena deixará de ser obrigatória quando os países tiverem as suas taxas de infeção sob controlo.

As autoridades uzbeques proibiram voos, fecharam as fronteiras a turistas e impuseram medidas estritas de confinamento em meados de março, quando havia ainda poucos casos confirmados de infeção.

Segundo os dados mais recentes da Universidade Johns Hopkins, há um total de 17.149 casos confirmados de infeção, 90 mortos e 9.387 recuperados no Uzbequistão.