Investigação


PGR apreende torres de Manuel Vicente, Orlando Veloso e Francisco Maria de Lemos

2020-07-23 05:08:00

Imagem de destaque

Partilhar isto:

O Serviço Nacional de Recuperação de Ativos da Procuradoria-Geral de Angola (PGR) ordenou na noite de ontem a apreensão de três edifícios, de escritórios e residenciais, denominados Três Torres, em Luanda.

O mandato de apreensão do Serviço Nacional de Recuperação de Ativos refere que a apreensão foi feita ao abrigo da Lei sobre o Repatriamento Coercivo e Perda Alargada de bens, informou a PGR.

Os edifícios em causa, conhecidos como Três Torres, incluem a Torre A Escritórios, e Torre B e C Residencial, localizados no distrito urbano da Ingombota, em Luanda. Fonte próxima a este Portal, faz saber que os mesmos foram construídos com dinheiros retirados ilegalmente da SONIP.

Como fiel depositário, avança a nota, é nomeado o Cofre Geral de Justiça.

A PGR não esclareceu quem era o proprietário ou beneficiário das referidas torres, nem o motivo da apreensão, no entanto, o Na Mira do Crime sabe que, os edifícios estão sob tutela da empresa Riverstone Oaks Corporation (ROC), cujos sócios reais são Manuel Vicente, Francisco Maria de Lemos e Orlando Veloso. À data da sua criação, esses indivíduos exerciam, respectivamente, as funções de presidente do Conselho de Administração da Sonangol, administrador financeiro e director da Direcção de Engenharia, este último com responsabilidade pelos projectos imobiliários.

No acto de constituição da DL, a ROC foi representada por Norberto Couto Marcolino, reportado como sobrinho de Manuel Vicente e seu testa-de-ferro como sócio da empresa.

Em actualização...